Tudo que você precisa saber sobre próteses de silicone

0 89
Colocar próteses de silicone é a saída mais comum para quem quer aumentar o volume dos seios, seja por vontade própria ou para reparar danos estéticos provocados por cirurgias de redução das mamas. Mas, é bem nessa hora que surgem aquelas dúvidas na cabeça de quem está pensando em dar aquela elevada na harmonia corporal ou mesmo reconstruir o que lhe foi tirado em função de alguma enfermidade. A Blogueira Sabrina Dalmolin entrevistou um renomado cirurgia plástico, que nos passou alguns pontos mais relevantes quando o assunto é implante.
No Blog Sabrina Dalmolin você lê mais do assunto, como:

Cirurgia plástica: muito além da estética

Qual o tamanho adequado da prótese?

O volume a ser colocado deve ser planejado no pré-operatório junto com seu cirurgião. Essa escolha não é feita de forma subjetiva. É necessário realizar a medição da mama para determinar o volume máximo de implante. Após tirar as medidas, a paciente coloca um sutiã especial que possui alguns moldes inseridos. O cirurgião consegue verificar se o volume desejado é compatível com as medidas da base mamária que irá comportar a prótese.

Como é feito o procedimento?

As próteses de silicone podem ser colocadas de três formas diferentes:
Subglandular: a prótese é colocada embaixo do músculo peitoral. Não há interferência na anatomia das mamas.
Submuscular: a prótese é colocada por detrás do músculo peitoral.
Subfascial: a prótese é colocada atrás entre o músculo grande peitoral e a glândula mamária. A prótese é colocada por baixo de um tecido muito fino que reveste o músculo.

Mamas caídas, dá pra remodelar?

A mastopexia é um procedimento que corrige as mamas caídas, remodelando-as. Se a mama for muito flácida quando se apalpa e houver excesso de pele, a colocação de uma prótese ajuda na sustentação. O cirurgião precisa remodelar os seios a partir de pontos de aproximação dos tecidos. Se esse tecido tiver pouca densidade, o resultado pode ser perdido ou durar pouco.

Por que fazer colocação de prótese após mamoplastia redutora?

Veja também

A principal vantagem dessa cirurgia plástica em relação a mamoplastia redutora sem colocação de prótese, na qual somente é retirado tecido mamário e reconstruído um seio menor, é que com o implante de silicone os resultados se mantém por mais tempo. As mamas ficam com “colo” mais realçado por um período prolongado, diferente da redução de mamas sem implantes, que não costuma se manter por um período longo de tempo.

Qual o prazo de validade das próteses?

Antigamente falava-se muito na “Regra dos 10 anos” devido ao fato de serem utilizadas próteses mamárias lisas e elas terem um índice de contratura capsular, ou o popular encapsulamento da prótese, de 100% em 10 anos. Com as próteses texturizadas, a incidência de contratura capsular caiu para 5% em 10 anos (isso falando em próteses colocadas em cima do músculo). Não existe uma regra rígida quanto tempo a paciente precisará trocar a prótese. Outras indicações para troca são: perfuração do implante, a insatisfação da paciente caso ela mude o seu conceito de estética ao longo do tempo. A troca só é realizada após um período de 20 anos, por exemplo, caso a paciente não esteja mais satisfeita e os exames indiquem perfuração ou contratura capsular.

O que é contratura capsular?

A contratura capsular pode ser formada a partir de qualquer coisa que esteja ao redor do implante e induza a formação de fibrose, hematomas não drenados, contaminação subclínica na hora da colocação do implante. Aí temos a importância do cuidado do cirurgião na hora de colocar o implante, cuidado com a hemostasia (coagulação dos vasos sanguíneos) e também a atenção para evitar a contaminação. O plano submuscular possui menor índice de contratura capsular, por ser uma plano mais vascularizado e se houver uma micro contaminação é possível que a bactéria seja eliminada mais facilmente. No plano subglandular, as próteses lisas, têm formação de contratura capsular em 10 anos devido a características tridimensionais de deposição de colágeno ao redor do implante.
Não deixe de fazer o acompanhamento com seu cirurgião e sempre pesquise a seriedade do profissional antes de se submeter a uma cirurgia.

You might also like More from author

Leave A Reply

Your email address will not be published.